Facebook Twitter Google+ email



Marcelândia-MT Dia 10 de outubro de 2017 - 15:35hs

Uruguai passa fácil pela Bolívia e carimba vaga na Copa do Mundo


O Uruguai iniciou a última rodada das Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, praticamente assegurado no Mundial. Na noite desta terça-feira, os comandados de Óscar Tabárez confirmaram presença na mais importante competição do futebol ao vencerem a Bolívia, por 4 a 2, no Estádio Centenário.

Já assegurada na repescagem antes do começo da rodada, apenas uma tragédia tiraria a vaga direta uruguaia: além de uma derrota para a Bolívia, o Chile teria que vencer o Brasil, no Allianz Parque, e a Argentina, além de ganhar, teria que tirar uma grande diferença no saldo de gols.

Com os resultados finais das Eliminatórias, o Uruguai assegurou a segunda colocação na classificação geral, posição que iniciou a rodada, com 31 pontos conquistados, atrás apenas do Brasil.

Uruguai selou sua ida ao Mundial de 2018, na Rússia, nesta terça-feira (Foto: Pablo Porciuncula/AFP)

O jogo – O goleiro boliviano Lampe, que teve grande atuação no empate entre a seleção de seu país e o Brasil, parecia estar inspirado novamente. Antes dos cinco minutos de partida, o Uruguai teve três grandes chances de abrir o placar, e em duas, esbarrou no arqueiro, que fez duas boas defesas em finalizações de Luis Suárez.

Apesar da pressão inicial uruguaia, que tinha grande volume de jogo ofensivo, quem inaugurou o marcador foi a Bolívia. Após cobrança de lateral na grande área, Godín tentou dar o chutão, mas a bola bateu em Gastón Silva e voltou, com força, no fundo das redes de Muslera.

Após a abertura do placar, os uruguaios pareciam nervosos no confronto, tentando decidir o gol de qualquer maneira. Os donos da casa voltaram a ter boas chances de empatar o duelo, com Suárez e Arrascaeta.

Aos 39 minutos da etapa inicial, enfim o gol do Uruguai saiu. Gastón Silva se redimiu do gol contra e chutou forte, da lateral da área, para o meio. Cáceres só colocou o pé na trajetória e fez a bola morrer no fundo das redes, pelo alto, empatando a partida.

Dois minutos depois, Lampe enfim falhou. E feio. Após cruzamento na área, Cavani cabeceou uma bola defensável, no chão, mas o goleiro boliviano aceitou e os uruguaios selaram a virada.

O domínio, que já era plenamente dos mandantes, prosseguiu no segundo tempo. Em cobrança de falta, o meia do Cruzeiro, Arrascaeta, quase deixou o dele. Pouco depois, deixou Cavani na cara do gol. Dessa vez, Lampe defendeu a finalização do uruguaio.

Aos catorze minutos do segundo tempo, Suárez fechou o caixão dos bolivianos. Após tentativa de passe em profundidade, a bola desviou em Arrascaeta no meio do caminho. O atacante do Barcelona, mostrando o já tradicional faro de gol, aproveitou o desvio, arrancou pelo meio e deu um leve toque de bico na saída do arqueiro adversário, fazendo o 3×1.

O camisa 9 não parou por aí: depois de jogada trabalhada pelo meio, Rodríguez tocou para Suárez, que chutou cruzado. A bola ainda tocou na trave antes de entrar.

O gol de honra dos visitantes saiu novamente dos pés de um uruguaio. Após cruzamento de Arce para a área, Godín foi afastar a bola, mas acabou cabeceando contra sua própria meta e encobrindo o goleiro Muslera, que nada pôde fazer.

FICHA TÉCNICA
URUGUAI 4 X 2 BOLÍVIA

Local: Estádio Centenário, em Montevidéu (Uruguai)
Data: 10 de outubro de 2017 (terça-feira)
Horário: 20h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques (Brasil)
Assistentes: Rodrigo Corrêa (Brasil) e Guilherme Dias Camilo (Brasil)

Cartões amarelos: Bolívia: Candía. Uruguai: 

Gols: Uruguai: Cáceres, aos 39 minutos do 1ºT; Cavani, aos 41 minutos do 1ºT; Suárez, aos 14 e 30 minutos do 2ºT. Bolívia: Gastón Silva (contra), aos 23 minutos do 1ºT; Godín (contra), aos 33 minutos do 2ºT.

URUGUAI: Fernando Muslera; Martín Cáceres, José Giménez, Diego Godín e Gastón Silva (Maxi Pereira); Bentancur, Matías Vecino, Federico Valverde (“Cebolla” Rodríguez) e Arrascaeta (Lodeiro); Edinson Cavani e Luis Suárez
Técnico: Óscar Tabárez

BOLÍVIA: Carlos Lampe; Diego Bejarano, Candía, Ronald Raldés e Sagredo; Raúl Castro (Justiniano), Valverde, Cristhian Machado, Chumacero (Juan Arce) e Jhasmani Campos; Marcelo Moreno (Gilbert Álvarez)
Técnico: Mauricio Soria.

Esta postagem foi publicada em 10 de outubro de 2017 Carrossel de Notícias Topo, Destaque inicial 4 só textos, Esportes, Notícias Barra Lateral 2, Notícias em Destaque, Notícias Extras 3.

Notícias em Destaque